Futurecom faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Baterias wireless: como funcionam e o que esperar do futuro

Bateria Wireless.jpeg
A tendência é que as baterias wireless se tornem cada vez mais populares por conta do crescimento do uso do 5G e do IoT. Confira!

Hoje em dia fazemos praticamente tudo pelo smartphone. Os aparelhos servem para estudar, trabalhar, pedir comida, solicitar um carro para transporte, pagar contas, entre tantas outras coisas. Porém, tantas funcionalidades exigem muito da bateria dos celulares, o que faz com que as cargas tenham pouca duração.

A bateria wireless, ou seja, que possibilita o carregamento sem fio, veio para nos ajudar nesse desafio. Com a nova funcionalidade, ficará muito mais simples recarregar os celulares, mesmo quando não se tem um cabo ou tomada por perto.

O professor Gustavo Moreira Calixto, doutor em Sistemas Eletrônicos e docente do Senac, conversou conosco sobre esse tema. 

Veja abaixo as percepções do especialista sobre o tema!

Entendendo o funcionamento das baterias wireless

Calixto nos explicou que, atualmente, já temos disponíveis no mercado as baterias wireless, principalmente em smartphones, os quais já estão adequados para funcionarem com carregadores sem fio. Para isso, os aparelhos usam uma técnica de indução magnética

“A base do carregador possui bobinas e, quando eletrificadas, geram um campo magnético. Esse campo, por sua vez, pode induzir bobinas que estão no equipamento-alvo gerando corrente elétrica para a recarga que está conectada à bateria”, explica o professor.

Dessa forma, o carregamento dos smartphones é feito por meio de redes sem fio. A tecnologia é similar à radiodifusão, que faz com que possamos ver e ouvir os conteúdos gerados pelas emissoras de rádio e TV.

Conheça as vantagens e desvantagens de usar esse tipo de bateria

A principal vantagem da bateria wireless, sem dúvida, é a praticidade para recarregar as baterias dos celulares e outros dispositivos. Afinal, não será mais necessário andar com um carregador com fio e conectar o aparelho à tomada.

Em contrapartida, os dispositivos demoram mais para recarregar quando se utiliza a tecnologia wireless, como coloca Calixto: 

“O método de recarga por indução eletromagnética possui um desempenho de 60% a 70% em relação à carga utilizando cabos, o que pode ser uma desvantagem quando precisamos de um processo mais rápido”, diz.

Tendências sobre o uso da bateria wireless no futuro

A tendência é que as baterias wireless se tornem cada vez mais populares e, nos próximos anos, ganharão impulso, por conta do crescimento do uso do 5G e da internet das coisas (IoT). Calixto exemplifica: 

“Imagine equipamentos de monitoramento que utilizam uma carga de energia muito baixa (sensores de monitoramento em um sistema de cidade inteligente ou em uma indústria) que podem ser carregados por esta técnica usando indução magnética ou até mesmo aproveitar as potências de ondas eletromagnéticas disponíveis no ar. Já temos tecnologias em períodos de testes e processo de aprovação que logo estarão disponíveis no mercado”.

O professor também acredita que o processo de recarga sem o uso de fios é uma grande tendência para o futuro não só pela facilidade, mas também pela questão da sustentabilidade. Isso porque será reduzida a produção de cabos, que usam plásticos e metais pesados para a fabricação.

Com uma visão otimista para o desenvolvimento das baterias wireless, Calixto acredita que, no futuro, até mesmo os carros poderão ser recarregados com essa tecnologia.

Continue descobrindo as tecnologias do futuro! Leia também nosso material sobre as tendências no setor de telecomunicações para 2022.

Ocultar comentários
account-default-image

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar