Futurecom faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Tendências no setor de telecomunicações em 2022

Tendencias telecomunicações 2022.jpg
Depois de um 2021 agitado, profissionais do segmento esperam mais novidades para o próximo ano, em especial com a chegada do 5G. Saiba mais!

Depois de um 2021 agitado, o setor das telecomunicações se volta para 2022. Mas quais são as tendências do segmento que deverão estar em evidência no novo ano?

Para descobrir, conversamos com Naydson Leite, Diretor Comercial e de Marketing da ITS Brasil, provedora que atua no estado da Bahia.

Confira as opiniões de nosso convidado e saiba mais sobre pontos que devem estar em alta nas telecomunicações em 2022. Leia mais abaixo!

O papel do 5G no avanço das telecomunicações

Recentemente realizado, o leilão do 5G definiu as empresas que irão implementar a nova geração da conectividade à internet no País.

Para o próximo ano, é planejado que a tecnologia já chegue às capitais, o que causará impactos consideráveis com conexões muito mais rápidas. 

Tais avanços auxiliarão no desenvolvimento de outras tecnologias, como a Internet das Coisas (IoT) e a Inteligência Artificial (IA), para ficar apenas em algumas.

“Pesquisas recentes apontam que, só no Brasil, em 2022, quase 725 milhões de dispositivos estarão conectados. Até lá, projeta-se que cada pessoa terá pelo menos três dispositivos conectados à internet”, reflete Leite.

O especialista prossegue em seu raciocínio apontando que o 5G terá ainda mais importância com seu avanço no Brasil, e que 2022 será vital para isso.

“O tráfego de jogos, de Realidade Virtual e Realidade Aumentada é outra fatia muito importante, e acredita-se, com base em pesquisas, que será 9 vezes maior em 2022 em relação a 2017, o que gera também uma expectativa cada vez maior em torno do 5G. Ele será responsável por uma grande transformação digital e vemos como imprescindível para a aplicação de diversas inovações, como a IA”, diz ele.

Banda larga ampliada deve ser pauta do próximo ano

Antes do avanço do 5G, um movimento para maior acessibilidade da banda larga de conexão à internet também já estava em curso, e a tendência é de que isso siga crescendo no próximo ano.

Com tal movimento, estima-se que cada vez mais pessoas, em especial em regiões menos urbanizadas, tenham mais acesso à internet de alta velocidade, o que acarretará em benefícios diversos.

Entre eles podemos destacar maior conectividade no campo, facilidades para o home office, que deve ser mantido ao menos parcialmente mesmo após a pandemia, e maior possibilidade de atendimentos remotos, como nas áreas de saúde e educação, para citar apenas duas.

O diretor da ITS Brasil nos falou sobre esse crescimento, demonstrando que o setor de telecomunicações está animado para os novos voos que o ano traz.

“Esperamos que até 2022, 80% da população nacional esteja conectada, com um tráfego IP global triplicado em relação a 5 anos atrás, sendo que 85% desse tráfego será representado pelo uso de vídeos, jogos e multimídia, apontando uma tendência global cada vez mais forte. Por conta dessa demanda, a velocidade global de banda larga, Wi-Fi e conexões móveis precisou dobrar de 2017 para cá”, observa ele.

Leite também destaca que, mesmo com o crescimento cada vez maior do uso de smartphones, a tendência de manutenção do home office poderá impactar o uso residencial da banda larga, o que só será otimizado com o avanço do 5G.

Apesar da maioria dos brasileiros acessarem a internet através de smartphones, devemos ver, até 2023, um crescimento também nas redes fixas, algo em torno de 10,8%, reflexo possível dessa mudança de comportamento ligada ao Home Office. Ainda assim, o crescimento será menor que os 30% projetados para o tráfego de dados em redes móveis", reflete.

Crescimento do setor e interoperabilidade

Um recente levantamento da consultoria IDC Brasil, divulgado pelo site Tele Síntese, apontou que o 5G representará US$ 2,7 bilhões em novos negócios para o setor.

As projeções animam os profissionais da área, que vislumbram os avanços tecnológicos e as possibilidades com o recente leilão como pontos chave para que a telecomunicação brasileira siga cada vez mais forte.

Para especialistas, a interoperabilidade também será um dos temas quentes de 2022, já que, com a chegada do 5G, as novas tecnologias precisarão se comunicar e interagir entre si. 

Tais possibilidades oferecerão benefícios diversos ao setor e aos usuários, já que será cada vez mais palpável o uso de inovações como forma de melhoria de vida da população.

Um exemplo está no uso de Big Data para a solução de problemas públicos, como o transporte e mobilidade urbana, assim como o uso do IoT para melhores resultados no setor agropecuário, passando pelo avanço da IA para atendimentos médicos.

Segurança digital segue como fator de grande importância

Porém, Leite faz uma ressalva. Mesmo com a empolgação com a chegada do 5G e o avanço da banda larga, assim como o uso da interoperabilidade, devemos ficar ligados também no aumento de ataques digitais. 

Com registros crescentes de novos ataques nos últimos anos, o tema da segurança digital é primordial para o setor, e deve continuar pautando debates e ações das telecomunicações em 2022.

"Ao mesmo tempo que todo esse crescimento traz uma expectativa positiva para o mercado, traz também preocupações para as empresas que oferecem serviços de conexão, principalmente quanto à segurança na troca de dados", observa ele.

"Temos acesso a pesquisas que apontam uma tendência de ataques, principalmente os do tipo DDoS, duplicados em 2022, o que nos faz reforçar cada vez mais nossa rede de fibra óptica própria, que dá aos clientes e à gente mais segurança", conclui.

Siga a Futurecom nas redes sociais: Instagram, Linkedin e Facebook para não perder nenhuma novidade do setor!

Ocultar comentários
account-default-image

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar