Futurecom faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Cibersegurança: como proteger os dados do e-commerce?

Cibersegurança como proteger os dados do e-commerce.jpeg
A expansão do e-commerce também aumentou a temeridade com a cibersegurança. Os dados do seu e-commerce estão seguros?

Dados da E-Commerce Quality Index 2020, da Lett em parceria com a Opinion Box e a Neotrust, mostram que o e-commerce brasileiro registrou um crescimento de 50,10% em 2020, em comparação com o ano anterior. 

Impulsionado pela pandemia, o segmento deu um salto e segue em expansão em 2021, com 17% atestando que nunca haviam comprado online antes e decidiram fazê-lo no primeiro trimestre do ano, de acordo com dados da Webshoppers divulgados pelo site Consumidor Moderno.

Os números são animadores, mas evidenciam também que, com maior fluxo de compras, aumenta também a temeridade com a cibersegurança. Diariamente, milhões de consumidores registram seus dados em diversas plataformas de vendas online. Uma brecha nesse sentido pode ser catastrófica, e é por isso que o tema da segurança virtual no e-commerce é tão importante.

Qual a importância da cibersegurança para o e-commerce?

Cauê Flaitt, especialista de e-commerce na BExpert, conversou conosco sobre o tema. Para ele, apesar de não ser tão percebida pelos usuários e até por alguns profissionais do setor, falhas de cibersegurança no e-commerce são tão prejudiciais quanto situações do mundo não virtual.

Um e-commerce sem segurança é o mesmo que deixarmos uma loja de rua com a porta escancarada sem vendedores com a senha do cofre escrita em um papel no balcão e um fio desencapado dentro do estoque", observa.

Relacionado: Crime cibernético: o que fazer no caso de um ataque

Ele prossegue, explicando que, além das situações mais conhecidas, há outras situações que exigem atenção dos especialistas.

"Quando falamos em cibersegurança, o primeiro pensamento é em ataques e fraudes, mas não é somente isso. Não podemos esquecer de falhas técnicas que podem ocorrer por uma simples oscilação de rede fazendo com que o preço de um produto não seja atualizado e criando um prejuízo gigante a empresa. Existem dezenas, senão centenas, de ferramentas de mercado como antifraudes, Anti DDoS e plataformas de integração que podem nos ajudar com estes cenários."

O que a LGPD diz sobre a proteção de dados do e-commerce?

A Lei Geral de Proteção de Dados, também conhecida como LGPD, trouxe novas determinações para ajudar a manter os dados dos internautas a salvo no ambiente digital. Algumas de suas resoluções se aplicam também no e-commerce, onde, mais do que uma exigência, a cibersegurança é o diferencial para que o cliente sinta a confiança de comprar e seguir fiel à determinada loja online.

“Quem nunca recebeu um contato de um lugar ao qual nunca forneceu seus dados? São pontos comuns em coleta de dados no e-commerce, além do cadastro para a compra, listas de desejo, pesquisas e os famosos cookies”, explica Flaitt.

Ele prossegue, destacando a importância que a LGPD traz para que os consumidores saibam como a empresa lidará com seus dados após fornecidos para a compra de um produto ou serviço.

“A LGPD tem o objetivo de mudar a forma como os dados dos clientes são tratados, a fim de coibir o uso indiscriminado destes dados cadastrais. Com isso, o cliente tem direito de saber das empresas se elas possuem seus dados no cadastro e, caso ele forneça seus dados para um e-commerce, qual uso será dado para eles”, diz.

Relacionado: Infográfico: fraude no e-commerce

Como proteger os dados do e-commerce?

Se conhecemos os riscos, é natural que também busquemos saber mais das soluções. Não é segredo que a cibersegurança é um aspecto de extrema importância no e-commerce, e não à toa os principais lojistas e especialistas desse segmento investem muito tempo e dinheiro para se especializarem e otimizarem suas barreiras de segurança.

Para Flaitt, "Existem diversas formas de proteger os dados no e-commerce, além das plataformas de e-commerce, onde muitas são inclusive complacentes com PCI, existem também plataformas para gestão dos dados (ERPs e CRM’s por exemplo) antifraude, firewall."

O representante da BExpert também comenta que, mais do que ter mecanismos de defesa apropriados, é preciso escolher os parceiros de negócio corretos neste sentido, fornecendo assim um serviço seguro e de excelência aos consumidores finais.

"O importante aqui é garantir que seus parceiros de negócio possuam uma excelente segurança, evitando assim ataques que possam ‘vazar’ ou roubar dados dos seus clientes", conclui ele.

Quer rever ou não assistiu o Futurecom Digital Series Varejo? Acesse os conteúdos on-demand e fique por dentro das novidades do setor!

Registre-se para fazer download desse recurso

Registrar-se como membro de Futurecom lhe dá acesso a conteúdo premium incluindo revistas digitais, webinars, whitepapers e muito mais.

Ocultar comentários
account-default-image

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar