AgTechs e sua colaboração com a logística agropecuária

AgTechs e sua colaborao com a logstica agropecuria.jpg
Ainda que o agronegócio tenha bons motivos para comemorar, ainda há um longo percurso a ser percorrido para que o setor usufrua ainda mais de seu potencial tecnológico.

Ainda que o agronegócio brasileiro tenha bons motivos para comemorar seus resultados e expansão nos últimos anos, ainda há um longo percurso a ser percorrido nos quesitos tecnologia e logística para que o setor usufrua ainda mais de seu potencial no país.

Apesar disso, é inegável que muitos avanços tenham contribuído para o desenvolvimento econômico do setor de tempos para cá e, sem sombras de dúvidas, as chamadas AgTechs, ou startups do agronegócio, têm papel essencial neste cenário.

E é justamente sobre essas empresas e suas soluções, que vamos abordar neste post, do qual convidamos um especialista atuante na área. Luis Martinez é fundador e diretor da GoFlux, plataforma digital para contratação de fretes no agronegócio.

Vamos conferir?

Como as AgTechs (startups do agro) contribuem com a logística agropecuária?

Como bem destacado no início, os prognósticos de crescimento do Agronegócio no Brasil são os mais promissores possíveis e isso se confirma por meio dos resultados satisfatórios nos últimos anos, em especial, no que se refere às altas demandas de exportações.

No entanto, mesmo com os recentes investimentos e promessas para a infraestrutura nacional, os principais gargalos do setor ainda se concentram na questão logística entre os produtores (na maioria, localizados na região central do país) e seus canais de escoamento (portos).

Com isso, Martinez nos compartilha a sua visão, reforçando este cenário e destacando o imenso potencial a ser trabalhado no país e como novas soluções de AgTechs podem contribuir para a logística agropecuária brasileira.

“Da porteira para dentro nosso agronegócio é bastante desenvolvido do ponto de vista de tecnologia. Porém, por outro lado, da porteira para fora, temos muitas oportunidades de melhorias a serem desenvolvidas, entre elas o transporte. 

Hoje, por exemplo, muitas plataformas digitais desenvolvidas por AgTechs trazem melhorias no processo de contratação e gestão do frete, aportando aumento da produtividade e conformidade ao processo através do uso de inteligência preditiva”, opina nosso convidado.

Quais os principais desafios do transporte no agronegócio e como a tecnologia pode ajudar a superá-los?

Além da questão geográfica, da qual já destacamos um cenário de produção basicamente centralizado em regiões interioranas e, por sua vez, com os canais de escoamento no outro extremo, nas regiões litorâneas, Luiz Martinez também nos traz outros fatores de desafio para a logística agropecuária na nacional.

Entre eles, o especialista destaca aspectos que vão desde a complexidade operacional do setor, até mesmo às margens de ganhos limitadas em certas movimentações. Com isso, ele nos explica:

“A atividade de transportes no agronegócio é muito intensa, seja do ponto de vista de volumes ou de complexidade operacional (atendimento a clientes, carregamento de navios, etc). 

Além disso, trata-se de uma atividade de margens apertadas. A tecnologia aplicada a contratação e gestão de fretes, além de conectar as pontas entre embarcadores e transportadores, permite também aportar inteligência no processo decisório de contratação de fretes, trazendo agilidade, produtividade e consequentemente ganhos financeiros.”

O que pode melhorar no transporte agropecuário e como as AgTechs tem trabalhado nesse sentido?

Aqui, Martinez reforça o papel das AgTechs como solução para muitos gargalos ainda encontrados pelo setor do agronegócio no país, entre eles, a questão do custo e engessamento nos processos de contratação de fretes.

“O processo de contratação de fretes é a atividade chave dentro da cadeia de transportes do Agronegócio. É onde tudo começa! As plataformas digitais aportam ganhos significativos nesse processo. 

As grandes empresas já perceberam a necessidade de ter processos mais robustos e flexíveis de contratação de seus fretes e muitas AgTechs, em especial as plataformas digitais, trazem a essas empresas uma agilidade na implantação de novas opções de transporte e com rápidos ganhos mensuráveis”, explica Martinez.

Que AgTechs podemos destacar nesse segmento?

Aqui, Martinez é direto e objetivo, destacando a GoFlux como o principal nome entre as AgTechs com soluções logísticas para o agronegócio brasileiro.

Segundo ele, a empresa detém hoje a maior plataforma de contratação fretes do agronegócio nacional e tem contribuído para a otimização e redução de custos de inúmeras empresas do setor, agregando valores diretos tanto às estratégias de seus negócios, como ao desenvolvimento de o setor no Brasil.

Em resumo, essas são algumas dicas e informações úteis sobre o papel fundamental das AgTechs na logística do Agronegócio no Brasil. E com bem vimos, apesar dos gargalos e desafios comuns que setor enfrenta historicamente, é notório o desenvolvimento e avanço de inúmeras soluções e ferramentas tecnológicas nos últimos anos, o que coloca o país no rumo de uma nova Era para os negócios agro e com infraestruturas mais adequadas para as necessidades do setor.

Curtiu? Então, compartilhe o post em suas redes sociais e ajude a difundir ainda mais o papel das AgTechs brasileiras.

*Conteúdo criado pela equipe da Intermodal, clique aqui para acessar o artigo original.

Ocultar comentários
account-default-image

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar