Futurecom faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Mobilidade urbana pós-pandemia: prognósticos e desafios

mobilidade urbana no pós pandemia.jpg
Embora ainda estejamos em um momento crítico da pandemia, as vacinas nos dão esperança para o futuro próximo. Mas o que mudará na mobilidade urbana? Confira!

Embora, nos últimos meses, a pandemia da Covid-19 tenha voltado a ganhar força no Brasil e em alguns outros países, a expectativa é que, em breve, a sociedade finalmente se veja livre do novo coronavírus. Conforme as campanhas de vacinação avançarem a tendência é que os casos diminuam e as nossas vidas voltem a ser mais parecidas ao que eram antes do caos.

Porém, vários impactos da realidade trazida pelo período de distanciamento social ficarão presentes na sociedade. A mobilidade urbana pós-pandemia, por exemplo, será um pouco diferente do que víamos nas ruas até então.

Conversamos sobre o tema com o professor Cláudio Carvajal, coordenador acadêmico dos custos de Administração, de Gestão de TI e de Marketing Digital do Centro Universitário FIAP.  Carvajal compartilhou alguns prognósticos para a mobilidade urbana pós-pandemia, bem como os desafios que deverão ser enfrentados por conta deles. Acompanhe!

Os prognósticos e desafios para a mobilidade urbana no pós-pandemia

1. Anywhere office será permanente amenizará o caos no trânsito

A cultura do anywhere office, ou seja, do trabalho realizado em qualquer local, como na casa do colaborador, em coworkings ou na sede da empresa, tende a ser permanente no pós-pandemia.

Essa realidade fará com que as pessoas tenham que circular menos pelas cidades, amenizando o caos no trânsito e todos os problemas que o nosso país enfrenta por conta da precariedade do transporte público.

Nas palavras de Carvajal: “O trabalho remoto, em muitas profissões, deve ser mantido integral ou parcialmente na maioria das empresas. Essa mudança deve trazer mais qualidade de vida para as pessoas e desafogar os grandes centros urbanos, que há muito tempo necessitavam de soluções para problemas causados pela superpopulação”.

2. O uso de aplicativos de carro deve continuar em alta

Desde antes da pandemia, as pessoas já tinham o costume de usar carros por aplicativo. Agora, durante o período de distanciamento social, o número de adeptos a essa prática tem crescido.

“Podemos observar o crescimento no número de usuários de aplicativos como Waze, Uber, 99, dentre outros, que facilitam a mobilidade nos grandes centros”, analisa Carvajal.

Além disso, por conta da popularização do home office, muitas pessoas venderam os seus carros, já que agora precisam sair menos de casa. Nos trajetos que necessitam, o custo-benefício dos carros por aplicativo é bem grande.

3. Os carros autônomos vão contribuir para a preservação do meio ambiente

“Veremos uma transformação muito maior com a chegada dos carros autônomos e elétricos, que devem contribuir para a preservação do meio ambiente e a saúde das pessoas com a redução de emissão de dióxido de carbono”, afirma Carvajal.

De acordo com o professor, quando os veículos autônomos chegarem nas grandes cidades, o meio ambiente será mais preservado. Afinal, esses carros emitem menos poluentes no ar.

4. A mobilidade urbana sustentável será uma necessidade

Para Carvajal, a mobilidade urbana sustentável será uma necessidade nos próximos anos. E, por conta disso, os governantes e as empresas precisarão iniciar uma busca por novas matrizes energéticas.

“Na Europa, por exemplo, 30% da emissão de dióxido de carbono é proveniente do transporte. Os veículos elétricos e autônomos devem tornar a mobilidade mais sustentável, em especial nas grandes cidades, mas também no transporte intermodal de carga”, exemplifica.

5. Novas discussões jurídicas entrarão em pauta

A mobilidade urbana pós-pandemia e as novas tecnologias que estão surgindo também devem demandar novas discussões jurídicas. Como exemplo disso, Carvajal cita o Marco Civil das Startups e a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

“A inovação está sempre pautando a regulamentação”, diz o professor. De acordo com ele, primeiro temos as inovações e posteriormente as discussões jurídicas.

Exemplo disso são os atuais debates sobre a necessidade das empresas pagarem ou não direitos trabalhistas aos motoristas de aplicativos, por exemplo.

A mobilidade urbana pós-pandemia, em resumo, tende a ser benéfica para toda a sociedade. A tecnologia e as inovações que já surgiram ou estão surgindo devem impactar as nossas vidas de forma positiva e resolver problemas que já são velhos conhecidos.

As questões que envolvem a mobilidade urbana sustentável também devem ser mais discutidas com a chegada da internet 5G. Saiba mais sobre o tema em nosso artigo que fala sobre como superar os atrasos que a pandemia causou para a nova geração da internet e continue acompanhando nosso canal digital para saber mais do assunto!

Registre-se para fazer download desse recurso

Registrar-se como membro de Futurecom lhe dá acesso a conteúdo premium incluindo revistas digitais, webinars, whitepapers e muito mais.

Ocultar comentários
account-default-image

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar