Futurecom faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

shutterstock_120676078

T-commerce está perto de se tornar realidade no Brasil?

Se antes o público, ávido pelo modelo usado pela atriz na novela, ligava para a central de atendimento da emissora para saber onde comprá-lo, agora com a tecnologia T-commerce isso poderá ser feito de um modo bem mais rápido e fácil, bastando apenas alguns comandos no próprio controle remoto ou no smartphone e tablet.

Mas como isso funcionará na prática? Será que o T-commerce no Brasil revolucionará o modo como interagimos com a mídia televisiva e o setor de varejo? É o que você vai descobrir no post de hoje.

Como funciona o T-commerce na prática?

Respondendo à pergunta do título, sim, o T-commerce no Brasil já está se tornando realidade, ainda que lentamente. Mas antes, vamos entender melhor como funciona na prática essa tecnologia.

O T-commerce, ou television commerce, é um modelo de negócio que une a televisão, os serviços de streaming e plataformas ao tradicional e-commerce. O resultado é o entretenimento trabalhando junto ao comércio eletrônico.

Na prática, essa tecnologia permite que o espectador compre qualquer produto ou serviço exibido durante a programação da televisão – sejam roupas, eletrônicos, objetos de cena e outros produtos e serviços – sem precisar sair do canal. A compra poderá ser feita pela própria smart TV ou via tablet e smartphone, enquanto se assiste ao conteúdo.

Desde abril de 2017, a empresa californiana Cinemall, desenvolvedora de um produto que viabiliza o T-commerce, realiza testes no Brasil. Por enquanto, apenas os programas on-line da Rede Brasil de Televisão (RBTV) disponibilizam essa tecnologia aos espectadores.

Mas, de acordo com Anselmo Martini, vice-presidente de marketing global do grupo CinemallTec, que é responsável pelo Cinemall, a empresa está com grande otimismo no mercado brasileiro e já está em negociação com grandes redes de televisão.

O teste na RBTV está indo muito bem e devemos inserir novas tecnologias muito em breve, melhorando e abrindo outras opções para o mercado consumidor, além de expandir o conteúdo e os produtos à venda. Teremos lançamentos em diversas áreas, tanto de tecnologia como parcerias ao longo dos próximos meses no Brasil e EUA”.

Os desafios e o futuro do T-commerce no Brasil

Além da própria expansão da tecnologia no país e da necessidade de grandes parcerias com emissoras e empresas do setor de varejo, um dos principais desafios para a implantação do T-commerce no Brasil é preparar o público para essa grande mudança. Afinal, ainda não é um hábito do brasileiro comprar por impulso enquanto assiste ao seu programa favorito.

Por ser uma tecnologia intuitiva e de fácil uso, eu diria que o desafio maior a curto prazo é o consumidor/espectador ser informado, usar, gostar e acostumar-se com esta forma de divertimento/compras. Tudo nesta área é sempre um processo de ensinamento, prática e pequenas correções ao longo do tempo. Estamos muito confiantes que este processo será muito bem-sucedido e crescerá exponencialmente”, afirmou Martini.

A Cinemall pretende expandir o mercado nos próximos meses para que a tecnologia seja usada pelo público, pelas emissoras, pelos aplicativos e canais da web. “Essa tecnologia permite que tudo se conecte auxiliando todas as áreas: propaganda, televisão, produtores, marcas, anunciantes e principalmente o público em geral”, explica.

O T-commerce no Brasil certamente revolucionará o modo como interagimos com a televisão e os canais pela web. Mas qual é a sua opinião? Será que essa tecnologia vai vingar por aqui?

 

Ocultar comentários

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar