Futurecom faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Por que Brasil ainda sofre para expandir internet?

Por que Brasil ainda sofre para expandir internet?

Dados da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) indicam que 62% dos municípios brasileiros possuem estrutura para fibra óptica. Mesmo assim, essa tecnologia e a de banda larga ainda estão fora do alcance daqueles que vivem em regiões mais isoladas do País e de quem não consegue pagar pelos preços dos pacotes.

O mesmo acontece com a cobertura de telefonia móvel (3G e 4G) disponível em todo o território nacional, que muitas vezes chega com baixa qualidade ou preços altos, de acordo com o professor da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da FGV (Fundação Getúlio Vargas), Arthur Barrionuevo, em reportagem ao jornal Folha de S. Paulo.

Analistas e associações do setor apontam que a dificuldade de ampliação do acesso é consequência da rápida mudança tecnológica das telecomunicações. Além disso, não houve atualização nas regras. Há 20 anos, quando o Sistema Telebrás foi vendido – com 12 empresas -  o desafio era universalizar o telefone fixo, cuja a linha custava R$ 1.000,00 com espera de dois anos para instalação, e havia 17,5 milhões delas no Brasil. O telefone celular estava disponível para pouco mais de quatro milhões de assinantes.

Atualmente o mercado tem que lidar com IoT, indústria 4.0 e a chegada do 5G. Para melhorar esse cenário, especialistas sugerem isentar concessionárias de investir em telefonia fixa e passar tais recursos para a expansão da internet. A Anatel sugere alterar a destinação de recursos do Fust (Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações).

Ocultar comentários

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar