Futurecom faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Empresas de TI discutem como fomentar a criatividade para novos produtos

empresas de TI discutem como incentivar criatividade para gerar novos produtos

Para as empresas que desejam se destacar em um mercado cada vez mais competitivo, inovar já virou pré-requisito. Pensando nisso, o Futerecom reuniu executivos de grandes companhias de TI para discutir de que forma a inovação pode ser estimulada para gerar novos produtos e oportunidades de negócio.

Durante o painel, mediado por Thássius Veloso, comentarista de tecnologia da rádio CBN e da Globonews, os participantes compartilharam suas experiências e deram dicas do que pode ser feito para aliar inovação e resultados. Inserir startups nos processos criativos das empresas, por exemplo, pode ser positivo. “A nova economia pede por pequenos projetos e o processo de criação não permite pensar corporativamente. Nesse sentido, cabe à empresa grande fomentar e engajar a startup. Temos de estar junto com ela, mas não levá-la para dentro. Isso não ajuda”, analisou Bruno Maia, diretor de Inovação do SAS para América Latina.

Mas nem sempre é preciso terceirizar a mão de obra criativa. De acordo com Mario Laffitte, Marketing, Communication & External Affairs Vice President da Samsung Eletronics, os funcionários da empresa são motivados a desenvolver projetos quem podem gerar novos produtos. O trabalho aprovado rende ao autor (ou autores) a possibilidade de ir para a Coreia do Sul apresentá-lo à diretoria da companhia. Se houver um retorno positivo, a Samsung permite que o profissional se dedique exclusivamente ao desenvolvimento do projeto por dois anos.

“Ele pode, inclusive, demandar a força de trabalho interna da empresa para tornar o seu produto real. Caso a Samsung decida ficar com o projeto, o funcionário pode se tornar uma espécie de ‘sócio’ da companhia, mas se não tivermos interesse, investimos para que ele comece o seu próprio negócio”, contou Laffitte.

Ocultar comentários
account-default-image

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar