Futurecom faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

shutterstock_371521483.jpg

Essas são as principais tendências dos meios de pagamentos inteligentes

Os meios de pagamentos inteligentes são facilitadores, agilizando cada operação diária. No entanto, quais as tendências por trás desse novo ramo de mercado?

A evolução tecnológica facilitou o dia a dia das pessoas em cada instância e operação. Com os dispositivos cada vez mais integrados, ágeis e repletos de recursos, a interação com o meio ambiente se tornou mais fluida e sem atritos. Esse é o caso dos meios de pagamentos inteligentes — que continuam em sua jornada de inovação.

Verdade seja dita: opções como dinheiro, cheque e boletos se tornaram um transtorno para as pessoas. 

Em alguns países, por exemplo, o dinheiro vivo é raridade. Na Suécia, a moeda física representa apenas 1% da economia. Na Europa inteira, a taxa sobe um pouco, mas ainda é surpreendentemente baixa: apenas 10%.

A palavra da vez é praticidade, um objetivo em comum tanto de consumidores como de estabelecimentos.

Mas afinal, o que são esses novos métodos de pagamentos? Quais as tendências e as vantagens de utilizar este tipo de transação?

E por fim: como andam os esforços para que seus níveis de segurança estejam cada vez mais altos, blindando todos os dados de consumidores e estabelecimentos?

O que são os meios de pagamentos inteligentes?

Os meios de pagamentos inteligentes são aqueles criados para funcionar em conjunto com (ou por meio da) tecnologia. O objetivo é simples: facilitar o dia a dia das pessoas com soluções que tornem o ato de comprar mais direto e seguro, agregando recursos como o blockchain.

Essa definição é próxima do que acredita Percival Jatobá, VP de soluções e inovação da Visa do Brasil. Segundo o executivo, os pagamentos inteligentes devem promover uma experiência de usuário fluida ao consumidor, de forma que cada operação seja interoperável e totalmente protegida contra quaisquer ameaças.

“Meios de pagamentos inteligentes são aqueles que facilitam a vida dos consumidores, que resolvem problemas reais, seja por serem mais seguros, mais cômodos ou utilizar análise de dados e comportamentais para levar mais praticidade para a vida das pessoas.” diz Jatobá.

Ou seja, independentemente de onde a pessoa estiver, é possível utilizar dos mesmos recursos para realizar um pagamento, seja com um smartphone, smartwatch, tablet ou token.

Quais as principais tendências desse nicho de mercado?

Muito além de agilidade na hora de finalizar uma compra, os pagamentos inteligentes cada vez mais oferecem opções que desburocratizam o dia a dia dos consumidores — e, por sua vez, facilitam o trabalho de estabelecimentos comerciais e mesmo instituições financeiras.

Open banking

Para os bancos e demais instituições financeiras, além das fintechs, a popularização de meios de pagamentos inteligentes abre uma porta bastante única: o open banking.

O conceito diz respeito à possibilidade de bancos permitirem que desenvolvedores e fintechs criem, por meio de APIs, soluções personalizadas para sua plataforma.

Ou seja, enquanto o banco foca na gestão financeira de seus clientes, os desenvolvedores se ocupam em criar funções e recursos que agregam valor a sua plataforma.

Pagamento por aproximação

Outra das medidas que, aos poucos, começa a ser utilizada pela população é o pagamento por aproximação. Esse método não apenas inclui os cartões, mas smartphones e também pulseiras (como visto em festivais de música, por exemplo).

Ele funciona por meio de uma tecnologia chamada NFC (Near Field Communication) e a cada transação, uma nova criptografia é gerada, protegendo todos os dados do consumidor.

“Em 2019, a tecnologia chegou ao transporte público das maiores metrópoles brasileiras. O Rio de Janeiro foi a primeira cidade da América Latina a adotar o uso de cartões de crédito nas catracas de metrô e São Paulo implementou o sistema em linhas de ônibus selecionadas. Para este ano (2020), a tecnologia deverá ser expandida para outras cidades e integrada a outros modais de transporte e segmentos, já que a implementação do sistema é simples e promove verdadeiros benefícios na vida das pessoas, como praticidade e segurança” afirma o executivo.

Tokenização

A tokenização é um método de segurança que ganhou espaço com a expansão do blockchain. Segundo Percival Jatobá, é um dos destaques para a área de pagamentos inteligentes e que está se tornando realidade.

“A tecnologia da tokenização é outra tendência, que substitui o tradicional número do cartão por um token — uma sequência única de caracteres gerada a cada compra —, garantindo a blindagem das informações durante a operação” explica Jatobá.

No entanto, a evolução deve ser notada nos dois lados da moeda. Afinal, quanto mais soluções inovadoras para os meios de pagamentos forem criadas, maior será a necessidade de fortalecer os pilares de segurança das operações.

Segurança em pagamentos inteligentes: a necessidade de proteger os dados

É claro que, diante de um cenário de mudanças, a preocupação com novas ameaças tende a crescer. No entanto, o mercado de pagamentos inteligentes está em constante evolução no que diz respeito à segurança dos consumidores e das empresas.

A maioria das soluções inovadoras tem como escopo o fortalecimento de seus parâmetros de segurança. É o caso da tokenização dos meios de pagamento, mencionada acima.

A sequência de caracteres que ela gera maquia os dados confidenciais de clientes. Portanto, se cair na mão de criminosos, será inútil.

Além disso, Jatobá reforça que, no Brasil, a Visa e outros players do irão realizar um Roadmap de Segurança, que busca otimizar o equilíbrio entre riscos e inovações no meio.

“O documento detalha as ações que a Visa e o ecossistema de pagamento irão liderar nos próximos 3 anos, incluindo as tecnologias como tokenização, biometria e a atualização do protocolo 3DS 2.0, que ganharão ainda mais espaço no mercado brasileiro. O Roadmap busca, até 2022, ter 100% de aceitação dessa tecnologia nos estabelecimentos comerciais brasileiros e ainda a inclusão de novos elementos de segurança biométrica – tudo para melhorar a experiência de pagamento, como voz, reconhecimento facial ou impressão digital” conclui o VP de soluções e inovação da Visa.

Com as inovações, o futuro dos pagamentos inteligentes promete agilidade e segurança, facilitando tudo na rotina financeira dos consumidores, não apenas o pagamento. Ou seja, a possibilidade de gerenciar toda sua situação financeira e realizar as mais diversas ações com alguns toques numa tela — ou mesmo nenhum.

A verdade é que ainda não se conhece o limite das tecnologias desse meio. No entanto, conforme a evolução se desenrola, é imprescindível se atentar à segurança de cada recurso.

De qualquer forma, não é exagero afirmar que o horizonte de soluções tecnológicas para os pagamentos é cada vez mais promissor.

Registre-se para fazer download desse recurso

Registrar-se como membro de Futurecom lhe dá acesso a conteúdo premium incluindo revistas digitais, webinars, whitepapers e muito mais.

Ocultar comentários
account-default-image

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar