Futurecom faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

isps-crescimento.jpg

Crescimento das ISPs requer conexões de alta qualidade e baixa latência

As ISPs (Internet Service Providers) ocupam 18,4% do mercado brasileiro de banda larga, de acordo com a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), havendo estimativa de crescimento para os próximos anos. Esse cenário positivo requer uma prestação de serviços de alta de qualidade para manter-se relevantes entre os clientes cada vez mais ávidos por velocidade e regularidade de conexão.

Atingir um alto nível de competitividade no setor das ISPs significa atender as novas exigências de consumo, principalmente no que diz respeito a reduzir a latência no estabelecimento da conexão e entrega dos pacotes. Nesse sentido, investir em infraestrutura é um passo muito importante para garantir um alto alcance de conexão em diversas regiões do Brasil, especialmente fora das grandes capitais onde, normalmente, as operadoras de pequeno porte atuam.

Rede IP para conexões de alta qualidade

Recém-lançada, a rede IP da Seaborn Networks fornece conexões de alta qualidade e baixa latência, combinando prazos curtos de instalação e serviço dedicado, para provedores de serviços de internet, operadoras de telecomunicações e provedores de conteúdo global. Dessa maneira, há o fornecimento de conexões de alta capacidade a serviços de transporte de alta qualidade.

Essa rede IP baseia-se no sucesso de entrega e serviço do Seabras-1, a única conexão direta e principal rede de fornecimento de serviços entre os centros comerciais do Brasil e dos Estados Unidos, uma solução de menor latência POP a POP se comparado a qualquer outro sistema atual entre os dois países. Além disso, a rota direta POP a POP entre os centros comerciais e financeiros brasileiro e americano também possui menos elementos ativos, o que significa menos tempo de inatividade. O sistema foi projetado com tecnologia integrada de 100 Gbps em uma solução de ponta a ponta.

“Nossa rede IP é ideal para provedores de serviços de internet no Brasil que procuram conexões de qualidade com conteúdo de alto nível, com alto nível de adjacência para seus clientes, e provedores de conteúdo que buscam se aproximar de seus usuários finais por meio de operadoras de banda larga e móvel de nível 1 no Brasil”, disse Larry Schwartz, presidente e CEO da Seaborn.

A rede da Seaborn oferece benefícios adicionais, incluindo:

• Contratos de capacidade consolidados e cobrança com SLAs líderes do setor;

• A mais nova arquitetura de rede com tecnologia coerente de 100Gbps em uma solução ponta a ponta de Nova Jersey a São Paulo;

• Soluções proprietárias de latência ultrabaixa para os serviços financeiros verticais;

• Um relacionamento direto com o operador que construiu e agora opera o sistema de cabos submarinos, oferecendo maior qualidade de serviço e melhor acesso a informações;

• Uma rota para e da América do Sul que evita as áreas propensas a furacões da Flórida, Caribe e Bermuda, com 100% da rede terrestre brasileira enterrada e protegida com diversas rotas terrestres com correspondência de latência no Brasil, garantindo desempenho, segurança e desempenho máximos;

• Prazos de entrega reduzidos para todos os serviços on-net e off-net, permitindo que a Seaborn forneça a maior rapidez de serviços do setor para nossos clientes,

• Centro de operações de rede primária (NOC) 24 × 7 de propriedade e operação independentes da Seaborn e NOC de backup.

"É uma abordagem baseada em soluções, projetada para permitir sucesso e crescimento sem limitação e congestionamento tradicionalmente associados aos serviços da região", finaliza Schwartz.

*Este é um Publieditorial sob responsabilidade de SEABORN.

Ocultar comentários

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar