Internet das Coisas

Como a computação na nuvem pode reduzir custos na sua empresa?

Lenildo Morais
Mestre em Ciência da Computação pelo Centro de Informática da Universidade Federal de Pernambuco

O conceito de computação na nuvem pode ser compreendido em referência a vários serviços nos quais informações e arquivos são mantidos em servidores conectados à internet. Isso significa que, em vez de mantê-los em um servidor local, todos os arquivos estarão em um servidor na nuvem, e qualquer dispositivo pode acessar esses dados de qualquer lugar de forma colaborativa e segura. Mesmo que ocorra um desastre, seus documentos e informações na nuvem permanecem em segurança.

Mas não é apenas em relação ao compartilhamento e segurança que a computação na nuvem se mostra vantajosa. Ela também pode gerar economia para a sua empresa. Embora pareça um paradoxo recomendar investimentos em novas tecnologias para controlar os custos, as soluções baseadas em nuvem podem ser aproveitadas para obter um retorno maior de todas as despesas operacionais inevitáveis. Ao aumentar a produtividade e a eficiência geral, a nuvem poderia ajudar a estimular o crescimento e a lucratividade dos negócios.

1.    Menor TCO

A despeito das especificidades das demais áreas de atuação, ao adotar a computação na nuvem, certamente, se observa que ela possui um menor TCO (sigla inglesa para “Custo Total de Propriedade”: avaliação do valor real de um produto/serviço e de tudo o que é preciso para mantê-lo funcionando) e oferece economia de importantes recursos para as empresas.

Esse é um dos fatores mais convincentes que tem levado empresas de todos os portes a substituírem seus sistemas e infraestruturas locais (ou “on-premise”: quando os servidores e recursos de TI são consolidados, fisicamente, dentro da própria empresa) pelos serviços na nuvem).

Essa tendência mundial não teria lugar se a cloud computing não oferecesse claras vantagens econômicas. Em termos gerais, a utilização da computação na nuvem, em comparação com uma solução on-premise, é mais baixo, fácil de calcular e de prever. Na prática, o próprio gerenciamento de despesas se torna mais simples de realizar.

No que se refere à tecnologia, TCO ou custo total de propriedade, é um cálculo que ajuda as empresas a determinar o custo para avaliar, comprar, possuir e manter a tecnologia em seus negócios. Uma solução de serviços hospedados pode ajudar sua as empresas a reduzirem o custo total de propriedade com:

  • A eliminação dos custos de capital;
  • Implantação mais rápida e aumento da produtividade dos funcionários;
  • Flexibilidade para uma força de trabalho móvel;
  • Risco reduzido com serviços de backup;
  • Diminuição do tempo de inatividade geral e melhora da produtividade.

2.  Elementos do Custo Total de Propriedade e sua Relação com a Nuvem

Todas as empresas querem crescer, inovar e atender seus clientes com mais eficiência, e mesmo que tenham apenas uma compreensão básica da nuvem, eles ouviram que a tecnologia de computação em nuvem pode dar a eles o poder de atingir essas metas. Hoje, os CIOs têm mais opções do que nunca para a tecnologia em nuvem.

No final, muitos tomam sua decisão com base na opção que resultará no menor TCO para o maior ROI. Vamos analisar os seguintes componentes do custo total de propriedade.

  • Avaliação

Uma das primeiras despesas relacionadas ao custo total de propriedade é o custo direto e indireto de avaliar qual serviço de nuvem será adequado para os negócios. Entre os testes gratuitos do sistema, entrevistando provedores de serviços hospedados e outras medidas, tomar essa decisão pode ser um pouco complicado, às vezes caro;

  • Segurança

Violações de nuvem e vazamentos de dados privados tem sido parte das notícias do passado. Infelizmente, fortes evidências sugerem que essa tendência continuará inevitavelmente. Ter seus dados da nuvem hackeados é caro, financeiramente e socialmente;

  • Backup de dados

Se o servidor de um provedor de nuvem falhar, seus dados estarão seguros? Sua empresa ainda poderá funcionar e atender seus clientes? Ou será que o seu negócio terá apenas que perder? Seu cálculo do custo total de propriedade deve incluir os riscos e benefícios de longo prazo do backup de dados em nuvem;

  • Preços

O preço, compreensivelmente, é uma das maiores preocupações no cálculo do custo total de propriedade. Preços para serviços em nuvem variam. Alguns provedores cobram mensal ou anualmente, com custos adicionais para complementos e uso. Da mesma forma, alguns provedores de serviços hospedados cobram com base no uso e na largura de banda, levando a declarações mensais inconsistentes. No final, a maneira mais inteligente de reduzir o TCO é encontrar um provedor que ofereça o maior valor a um preço consistente;

  • Manutenção

Um dos benefícios mais significativos para a tecnologia de computação em nuvem é reduzir o custo de manutenção de servidores no local. Quando as empresas aproveitam a nuvem, elas podem reduzir o TCO reduzindo os custos de contratação de profissionais técnicos no local, bem como o custo geral de manutenção dos servidores e do espaço que os abriga;

  • Customização

Se uma empresa não tiver recursos para personalizar os aplicativos de negócios internamente, ela poderá aproveitar a nuvem para ajudá-los. No entanto, o nível de personalização depende do tipo de tecnologia em nuvem que eles escolhem.

  3.    Redução Qualitativa dos Custos de TI

Muitas soluções de cloud computing apresentam custos de aquisição baixos desde a implantação, pois as licenças de software estão se tornando, cada vez mais, baseadas em assinaturas. Além disso, as empresas tem se tornado mais conscientes e investido em modelos de licenciamento que possuem flexibilidade de assinatura, aumentando a previsibilidade dos custos contínuos e facilitando seu acompanhamento.

Para muitos negócios, esses gastos se tornam uma despesa operacional, mudando o custo de TI do CAPEX (sigla inglesa para despesas de capital ou investimentos em bens de capital) para o OPEX (sigla para despesas operacionais).

Dessa forma, mais do que apenas uma diminuição numérica, a computação na nuvem reduz os custos qualitativamente, impactando, em consequência, os resultados globais das empresas.

4.    Isenção de Gastos com Hardwares

A implementação da computação na nuvem tem uma vida útil maior em comparação às soluções on-premise, pois você se livra da preocupação permanente de manter os hardwares atualizados, impedindo sua obsolescência ou incapacidade de operar os softwares e aplicações que estão sempre em constante evolução.

Os sistemas necessários são mais fáceis de atualizar e gerenciar na nuvem e os recursos do servidor podem ser ampliados ou diminuídos, permitindo, assim, que suas despesas operacionais se alinhem precisamente com as demandas internas e externas, gerando mais economia para o seu negócio.

5.    Maior Eficiência com Menor Folha de Pagamento

A quantidade de funcionários diretamente contratada pelas empresas e atuando em seu interior também pode ser reduzida, uma vez que os provedores cloud monitoram e gerenciam o provisionamento, configuração, manutenção e atualização de servidores.

Deste modo, é possível liberar recursos de TI existentes. Por não precisar aplicá-los em tarefas de manutenção, você pode direcioná-los para o core business da empresa.

6.    Viabilidade Econômica da Computação na Nuvem para as Pequenas Empresas

À medida que se solidifica a tendência para a migração geral e quase irrestrita de segmentos inteiros para a computação na nuvem, o conceito de TCO pode parecer antiquado ou mesmo inaplicável. Trata-se de uma metodologia avaliativa para quantificar os custos (tanto diretos quanto indiretos) de um produto, de modo que seja possível determinar seu valor real.

É verdade que custos inesperados (ou aqueles que são de quantificação complexa) são mais difíceis de prever sem a orientação adequada ou conhecimento prévio de implantações e gerenciamento de nuvem.

7.    Controle de Custos “Inesperados”

A cloud computing, obviamente, não é desprovida de custos, inclusive os “inesperados”. Há, naturalmente, os custos iniciais descritos no contrato do fornecedor e taxas mensais/on-demand, como mencionado.

Para que esses gastos sejam os menores possíveis e a solução gere ainda mais economias para as empresas, há alguns aspectos que deve-se considerar:

·         Armazenamento e Backup

Não exceder os limites estabelecidos em contrato, especialmente se esses requisitos de dados não tiverem sido previamente estimados ou planejados corretamente. Portanto, é fundamental definir a quantidade de semanas, meses ou anos em que se precisa manter dados recuperáveis;

·         Banco de Dados

Deve projetar o crescimento esperado do banco de dados no futuro e acompanhar, periodicamente, seu crescimento e necessidade de espaço nos servidores;

·         Transferência de Softwares

É preciso estar atento ao momento de transferir sistemas e bancos de dados armazenados para os servidores na nuvem, podendo haver a necessidade de ajustar modelos de licenciamento;

·         Curva de Aprendizado

Se o time se acostumou com soluções on-premise é preciso se preparar para um aumento na complexidade inicial e investir no treinamento e capacitação dos colaboradores durante a transição para nuvem. Uma vez que o movimento inicial para a computação em nuvem for realizado, os custos iniciais serão diluídos ao longo do tempo e o consumo mensal será monitorado sem problemas, ao passo em que a empresa garante maior capacidade operacional e de armazenamento de dados.

Os serviços hospedados podem reduzir o custo total de propriedade para as empresas de todos os tamanhos. O custo de servidores, manutenção, inovações e atualizações é distribuído por meio de uma infraestrutura hospedada de vários locatários, permitindo que o provedor hospedado ofereça serviços de classe empresarial a todos os clientes.

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.